Muito já foi discutido sobre a nova lei da meia entrada.  Produtores e artistas se dividem sobre a nova lei da meia-entrada. Entenda como será daqui pra frente:

O que diz a lei:

Cotas: Os eventos culturais e esportivos deverão estabelecer uma cota de 40% dos ingressos a serem vendidos pela metade do preço para estudantes de até 29 anos.

Três salários: jovens cuja renda familiar não ultrapasse dois salários mínimos também têm direito à meia-entrada, desde que não exceda o limite de 40% e que suas famílias tenham registro no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo.

Carteiras: As carteiras de identificação estudantil devem ser expedidas ?preferencialmente? pela Associação Nacional de Pós-Graduandos, pela União Nacional de Estudantes e pela União Brasileira de Estudantes. Mas o texto não explica do que trata o ?preferencialmente?.

Validade: As carteiras serão válidas até o dia 31 de março do ano seguinte de sua emissão.

A Câmara dos Deputados deu um passo a mais na regulamentação da meia entrada para eventos culturais. O estatuto que agora segue para a sanção da presidente Dilma Rousseff, definirá uma cota de 40% dos ingressos de eventos seja reservada para estudantes. Está medida visa atender a reivindicação da classe artística, que poderá calcular o total de meias entradas disponíveis.Muitos produtores atribuem os altos valores de ingressos pois ao produzir um evento se leva em conta cerca de 80% sejam vendidos pelo valor de meia entrada.

Com a aprovação desta nova lei, a redução dos ingressos deve ser de 25% em média para o bolso do consumidor. Os produtores de eventos contam com a aprovação desta lei para fortalecerem e consolidarem a economia do setor e diminuir a dependência atual do Estado. Além disso mais um ponto positivo para os produtores é a diminuição da necessidade de patrocinadores.

Porém existem controvérsias quanto a nova lei, como a expedição das carteiras de identificação estudantil sejam preferencialmente emitidas pela União Nacional dos Estudantes (UNE), União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) e Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG). Os deputados, porém, rejeitaram a exigência de que a carteira tenha selo de segurança personalizado segundo padrão único.

A verdade é que tanto produtores quanto o público espera ter benefícios com a nova legislação. Com a redução para 40% de cotas para os estudantes, espera-se também que haja a redução para o público que compra inteira. A expectativa é que todos saiam ganhando.